Friday, 27 June 2008

Parece impossível...

Hoje fiquei estupefacta ao ler esta notícia, a propósito de declarações feitas pela Directora Regional de Educação do Norte acerca do que ela considera dever ser o perfil dos professores correctores dos exames nacionais.
Parece que o que é importante para esta senhora é que os alunos tenham sucesso nos exames,ainda que as competências que o aluno deverá demonstrar nas respostas dadas nestes exames não se verifiquem.
Ou seja,pelo que deduzi do que li,os professores que forem corrigir os exames devem dar um 14ou 15 (ou até mais), a um aluno,ainda que na realidade ele tenha feito exame para 8ou9valores!
Mas que bem!
Isto significa que,segundo esta ordem de ideias de nada vale a um aluno aplicado preparar-se para os exames a fundo,uma vez que poderá vir ter a mesma nota que outro que nada andou a fazer durante o ano lectivo.
E significa também que,para efeitos de acesso ao ensino superior,aqueles alunos que consigam alcançar médias de sucesso,mas que não correspondem na realidade ao seu desempenho,conseguirão entrar em cursos para os quais não têm vocação,em detrimento de outros que se prepararam para isso.
É assim mesmo senhora directora!
Acho que assim vale a pena ser aluno numa escola do norte!
O que importa não é que os correctores das provas sejam exigentes e rigorosos nos critérios de correcção das mesmas,o que importa é que sejam correctores que sejam bonzinhos a dar notas!
Realmente o Ministério da Educação está recheado de profissionais de alto calibre!
E eu que falei mal da Manuela Ferreira Leite por ela ter implementado os exames nacionais!
E eu que tive que estudar tanto para os meus exames nacionais e durante o 10º,11º e 12º anos para ter uma média decente...e na altura o grau de dificuldade dos exames era adequado àquele nível de escolaridade.
Este ano,vi o enunciado do exame de português e fiquei estupefacta,pois tenho a certeza que era acessível a um aluno do 9º ano!
Enfim...

2 comments:

Anonymous said...

os jovens estudantes estão a ser levados par aum beco sem saida opu seha par ao desemprego.
Soninha

Anonymous said...

Os jovens estudantes portugueses estão a ser levados par aum beco sem saida ou seja par ao desemprego.
Soninha