Friday, 19 September 2008

Hoje nos jornais...

...vinha a notícia que um grupo de deliquentes proveniente de favelas brasileiras se instalou em Portugal,mais propriamente na margem sul.
Este grupo autodesigna-se como PCP sigla para Primeiro Comando Português e o seu objectivo "é transferir o ambiente pesado e sombrio das favelas brasileiras para Portugal, tem como sede a cidade de Setúbal e propaga as suas mensagens e ideais de violência através da Internet. Estes jovens vieram em busca de uma nova forma de vida e prometem fazer tudo o que estiver ao seu alcance para o conseguir".

Não entendo como é que estes criminosos entram no nosso país,se já têm cadastro no país de onde são oriundos!
Dá ideia que não haverá um controlo muito rigoroso aquando da entrada de imigrantes em Portugal,se gente desta entra assim com tanta facilidade no nosso país.
E fiquei surpreendida com a desvalorização que o secretário-geral do Gabinete Coordenador de Segurança dá a esta situação,considerando que esta notícia "tem a ver com imaginação fértil"!
Como é que é possível que se ignore o perigo que esta gente pode representar?
Ainda por cima quando há pouco tempo um suposto membro deste grupo foi preso por homicídio.
Cada vez compreendo menos as atitudes daqueles que governam o país.

2 comments:

Tuga em Londres said...

Tambem vi essa noticia na sexta a noite no telejornal quando estava em Portugal. Fiquei tao surpresa quanto tu. Mal podia acreditar que deixaram estes tipos entrarem no pais se eles ja tinham cadastro. Isto nao é normal!! Pessoas que de facto vao para Portugal procurar uma vida melhor, que sao responsaveis e querem tambem dar o seu contributo para Portugal, muito bem sao bem vindas. Agora pessoas que querem vir organizar gangs para dentro de Portugal, NAO!!

living in london said...

sim,concordo plenamente,quem vem por bem é mais que justo que possam legalizar-se e viver e trabalhar em Portugal,mas para virem formar redes de crime organizado e provocar insegurança e temor.
e os membros do governo ainda acham que os media estão a inventar e que não que se preocupar.
por favor!