Skip to main content

reviver o passado

De vez em quando acontece-me,sobretudo quando certos temas vem à conversa,ou quando vejo determinados filmes,ou quando oiço determinadas músicas,quando olho para certas fotos,quando leio determinados textos que escrevi(em diários,cartas,poemas,...) num passado não muito distante,enfim,quando certas acções, consequentemente, me levam a remexer nas recordações de uma relação afectiva e amorosa de um passado recente,muitas dúvidas invadem subitamente a minha mente.
Dúvidas essas que ficam a pairar na minha mente e para as quais não encontro uma resposta satisfatória e indubitável.
Acho que não consigo dar resposta a essas questões se não puder confrontar-me directamente com o destinatário destas questões.
Tipo,posso perguntar-me: Já não sinto nada por ele,além da amizade?Posso dizer que não,que não sinto,mas eu sei lá como vou sentir-me na presença dele,se estiver com ele mais do que um par de horas?
Ou então:Será que é possível esquecer-se um grande amor,quem sabe o grande amor da sua vida assim de um momento para o outro (como eu creio que aconteceu comigo,mas que sempre que revivo o passado ponho em questão se realmente foi isso que aconteceu,que esqueci e pronto,ou se realmente me deixei abater à primeira decepção e me acomodei e acabei por recalcar um sentimento que afinal de contas permanece escondido e continua a dar sinais de vida bastante fortes de vez em quando)?
Tenho realmente a sensação que respostas a estas minhas questões e inquietações só as poderei encontrar,de forma desambígua(esta palavra existe??),num frente a frente,num encontro a dois,em que realmente me possa confrontar com aquilo que ainda sinta por ele,testar-me e testá-lo,saber até que ponto as borboletas na barriga se manifestarão,bem como o ritmo cardíaco e etc e tal.
Sou realmente uma pessoa cheia de dúvidas às vezes.

Comments

Cromossoma X said…
Essas dúvidas são tão normais... penso que as teremos sempre pela vida fora, "será que este passo foi bem dado", "será que foi a decisão mais correcta?"... só o tempo o dirá. Mas enquanto certezas novas não chegam, o limbo é um estado injusto, que magoa e causa sempre mais incertezas do que convicções...

O que vale é que tudo passa com o tempo...pelo menos é o que digo a mim própria!
Cromossoma X said…
(continuando...)

um beijinho querida, segue o teu coração e concerteza serás feliz...

Popular posts from this blog

Alguém sabe onde traduzir certificados aqui em Londres?

Preciso de obter a tradução em inglês dos meus certificados de habilitações,já que me esqueci completamente de tratar disso em Portugal antes de vir para cá.
Agora,tenho uma certa urgência em fazê-lo,porque quero começar a ver de trabalhos ma minha área específica e não sei onde poderei conseguir as traduções.
Penso que no Consulado apenas autenticam e reconhecem traduções,mas não as fazem.
Eu até fazia eu própria a tradução,mas preferia que fosse feita por um tradutor oficial,ou pelo menos poder mostrar a minha tradução a um tradutor de forma a saber se é 100% correcta.
Se alguém souber onde me posso dirigir para fazer isso,agradecia imenso.
Obrigada!

Férias

Acho que nunca fiquei tanto tempo sem ir a Portugal.
Mas amanhã lá estarei, finalmente, oito meses após ter chegado à África do Sul!
Vai ser um mês de férias que vai saber a pouco, mas para o ano conto ir duas vezes a Portugal: no verão e no Natal.
Até amanhã Portugal! Estou quase aí!

coisas que gosto de fazer nos meus tempos livres

Não tenho muito tempo livre para me dedicar às coisas que gosto de fazer,mas tento pelo menos dedicar sempre algum tempo das minhas folgas a essas coisas.
Adoro ler!Lamento é não ler agora tanto como já li em tempos.
Ainda ontem entrei em duas livrarias de Oxford Street e nem dei pelo tempo passar;quando me apercebi,tinha passado parte da tarde entre prateleiras cheias de óptima literatura!
Era para ter comprado um livro do Jostein Gaarder,mas acabei por não o fazer,pois neste momento já estou a ler dois livros,um em inglês: Atonement de Ian Mc Ewan e um em português: Malinche,de Laura Esquivel.
Geralmente,leio mais é durante as minhas viagens de autocarro de casa para o trabalho e vice-versa.
Também adoro escrever;de escrever no meu diário,que mantenho já há alguns anos e onde estão registados alguns dos momentos mais significativos da minha vida,bons,maus,assim-assim.
Actualmente,estou a escrever o meu 18º diário!Já escrevi mais diário que Miguel Torga escreveu,eh,eh,mas claro que a quali…